Guia é desenvolvido para orientar professores sobre EaD
Em função do momento, NAP preparou material para contribuir com professores

Publicado em: 03 de junho de 2020 14h06min / Atualizado em: 03 de junho de 2020 14h06min

O Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) criou, em parceria com o curso de Ciência da Computação e o Grupo de Inovação Tecnológica Experimental (Grintex), um Guia com orientações para a produção de componentes curriculares semipresenciais.

A suspensão das aulas presenciais em função do novo Coronavírus e a decisão do Consuni que permitiu um percentual das aulas fosse semipresencial, desde que houvesse concordância dos estudantes, levantou a demanda. Conforme a pedagoga do NAP, Elisângela Ribas dos Santos, sabendo que professores do Campus ofertariam componentes semipresenciais, surgiu o entendimento que seria papel do NAP criar um material a respeito.

“Alguns dos assuntos que pensamos serem importantes para o guia talvez nunca tivessem circulado no âmbito do Campus. Então, é possível que nem todos esses professores tivessem clareza de algumas questões da construção de material didático, do acompanhamento do estudante, da criação de videoaulas e da mediação de atividades nessa modalidade, por exemplo. Então sentimos que era nosso papel, enquanto NAP, oferecer algum tipo de apoio a esses professores”, pontua.

Elisângela, que possui uma trajetória de pesquisa (tanto no mestrado quanto no doutorado) sobre Educação a Distância (EaD), destaca que as modalidades de ensino – presencial e EaD – têm diferenças. “Não podemos transpor uma aula presencial para o virtual, porque não vai funcionar. Por isso há tantos estudos sobre EaD, já que é uma modalidade diferente”. Ela ressalta que nos ambientes virtuais, “a aprendizagem é estimulada pelos processos de mediação. E essa mediação acontece por quem mais tem conhecimento no assunto, que geralmente são os professores”.

Para a criação do material, segundo ela, houve uma preocupação sobre o tipo de material didático os estudantes receberiam e a interação deles tendo com os professores. “Isso é o que vai garantir minimamente uma qualidade nesses ambientes virtuais. Apenas disponibilizar um material no Moodle não promove aprendizagem. Há várias interlocuções que precisam ser feitas nesse espaço para que a gente possa, minimamente, oportunizar as condições de aprendizagem aos estudantes. Eles escolheram o ambiente presencial, a gente está vivendo a educação a distância agora por uma situação emergencial. Então precisamos garantir um pouco de apoio aos professores, porque, talvez eles não tenham onde buscar”, frisa Elisângela.

Quando o grupo avaliou o que seria necessário nesse momento, pensaram sobre o que os professores desenvolveriam e o que os estudantes precisariam de material. “Foi então que decidimos abordar: a construção do material didático, tanto textual quanto de vídeos, orientações básicas para disponibilização de atividades e mediação das interações no ambiente virtual. Então são os quatro eixos mais importantes – existem outras características na EaD, mas de forma emergencial foi o que buscamos disponibilizar”, ressalta a pedagoga.

A partir do esboço do material criado pela equipe, houve o contato com a coordenação do curso de Ciência da Computação para agilizar a colocação do material no ar. O aceite veio de pronto e rapidamente o site foi colocado no ar. “Foi um trabalho colaborativo”.

Além da criação de orientações, o guia remete a materiais de terceiros, disponibilizados na internet. Também há a indicação de cursos sobre o assunto para os que quiserem se aprofundar no assunto. “Não teríamos tempo e talvez não fosse atribuição do NAP fazer uma capacitação nesse momento, então, por isso fizemos essa indicação de cursos da rede federal”.

O Guia faz parte do Projeto de Extensão "Formação continuada de professores: espaço formativo na Universidade". Idealizado por membros do NAP do Campus Chapecó, o projeto tem como objetivo desenvolver e implementar ações pedagógicas com vistas a ampliar a formação da comunidade em geral e contribuir para o debate político-pedagógico na Universidade.

Os retornos vêm sendo positivos, segundo Elisângela, tanto das coordenações quanto de professores. A intenção é que o site siga sendo alimentado, inclusive com outros assuntos que permeiam o universo acadêmico, de processos de ensino e apredizagem.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS