Paisagem e Socionatureza: olhares geográfico-filosóficos

 

 

    Paisagem e Socionatureza: olhares geográfico-filosóficos

 

 "Entender a paisagem é, de certo modo, fazer uma viagem para perscrutar o que  há no mundo e o que há do mundo em nós...”

 

   Autor: 

  Reginaldo José de Souza

 

 

                         

 

  

 


Apresentação

A obra resultou de uma pesquisa de pós-doutoramento realizada no Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa. O enfoque é a compreensão das bases filosóficas de um conceito amplamente utilizado na pesquisa e no ensino de Geografia: a paisagem. A partir da abordagem filosófica, que a considera como dimensão da existência e de um possível retorno ao sentimento de natureza em uma sociedade econômica e ecologicamente em crise, o objetivo da obra é discorrer sobre a paisagem enquanto potencialidade para a leitura crítica da realidade e busca de um mundo socialmente justo. A essência da natureza é constituída pela dialética ordem-caos e, enquanto movimento incessante, subjuga tudo e todos à dissolução no tempo e no espaço. No cerne da democrática condenação natural à morte, a sociedade hierárquica pode encontrar meios para realizar sua própria humanidade: sem guerras, sem degradação, sem riquezas acumuladas através de empobrecimento e fome. A compreensão da paisagem pode ser a porta de entrada para a estética da beleza que deve haver no mundo, em nós, nas relações humanas e na maneira de transformar a natureza.


Sobre o autor

Reginaldo José de Souza

Doutor em Geografia pela UNESP. É professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGeo) da UFFS. Atua principalmente nos seguintes temas: conceituação da paisagem, suas bases epistemológicas e aplicabilidades no ensino e pesquisa sobre temáticas ambientais. Autor dos livros "A construção de conhecimentos geográficos: uma análise histórico-cultural" (EDUCAT, 2017) e "A paisagem, uma ferramenta de análise do desenvolvimento sustentável" (UEMA, 2012).