Professores da UFFS avaliam participação em ação de testagem do Covid-19
Grupo de professores foi responsável pela elaboração da metodologia de testagem e análise dos resultados

Publicado em: 24 de julho de 2020 14h07min / Atualizado em: 27 de julho de 2020 14h07min

Entre os dias 10 e 12 de julho, foi realizada no município de Erechim-RS a campanha “Testa Erechim”, cujo objetivo principal foi obter um retrato da circulação do coronavírus na cidade. Para tal, foram aplicados 2.000 testes rápidos do tipo IgG/IgM em uma amostra da população. A ação foi efetivada pela Prefeitura Municipal de Erechim, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde, e contou com a parceria de quatro pesquisadore(a)s docentes da UFFS – Campus Erechim: Éverton Kozenieski (geógrafo), José Mario Grzybowski (matemático), Roberto Valmir da Silva (eng. sanitarista) e Paula Lindo (geógrafa). Os professores contribuíram para a elaboração da metodologia de testagem .

Conforme a professora Paula Lindo, o estudo prospectivo foi pensado para ocorrer em três etapas. Inicialmente, mediante solicitação do Comitê de Enfrentamento à Covid-19” de Erechim, foi realizada a concepção de um estudo para estabelecer a metodologia de testagem. Tal estudo consistiu na delimitação de microáreas geográficas na cidade para dimensionamento da amostra, e a definição das estratégias de aplicação. De acordo com Lindo, “a cidade foi dividida em 134 microáreas (23 na região central e 111 nos demais bairros). O desenho metodológico buscou, com suporte na cartografia e na estatística, traçar um diagnóstico da realidade atual das características da circulação viral no município. O número de testes aplicados por microárea foi proporcional ao número respectivo de habitantes de cada área pré-determinada e a partir do sorteio dos domicílios”.

A segunda etapa, de acordo com a professora, consistiu na aplicação dos testes, implementada pela Prefeitura Municipal de Erechim nos dias 10, 11 e 12 de julho. A realização da grande quantidade de testes em um curto período foi possível devido a uma força tarefa composta por equipes de saúde (Estratégia Saúde da Família, postos de saúde, Secretaria Municipal de Saúde) e voluntário(a)s. “A importância de completar os testes no menor período possível é proporcionar validade sob o ponto de vista epidemiológico. A operacionalização da metodologia de aplicação dos testes foi considerada um sucesso. Testes identificados como positivos à Covid-19 foram orientados e estão em monitoramento pelas autoridades de saúde”, informa a professora.

A terceira etapa, em andamento, visa a sistematização dos dados e análise dos resultados obtidos. Três dias após concluída a coleta dos testes, os docentes José Mário Grzybowski e Roberto Valmir da Silva apresentaram, ao poder público e à comunidade, resultados preliminares, aqueles considerados importantes para o desenvolvimento de ações imediatas para frear a disseminação do vírus. “Como exemplo, foram apresentados mapas de densidade de ocorrência de positivos em fase ativa (anticorpo IgM), o que dá aos agentes públicos um vislumbre de pontos da cidade em que o combate à epidemia deverá ser intensificado. Como resultados, dos 2mil testes, 1.632 (81,6%) deram negativos, 358 (17,9%) positivos, 8 inconclusivo e 2 casos inválidos (0,1%)”, diz a pesquisadora da UFFS.

A professora Paula Lindo destaca, ainda, “que esta fase necessita de mais tempo para o exame detalhado e reflexão dos dados obtidos. Na sequência, o(a)s docentes da UFFS-Campus Erechim e agentes da Secretaria de Saúde continuarão trabalhando para apresentar leituras diversificadas dos resultados com o objetivo de caracterizar outras dimensões da epidemia no município de Erechim”.

Em seguida, o professor José Mario Grzybowski fala um pouco mais da participação do grupo de professores da UFFS – Campus Erechim na implementação da ação de testagem.

Como foi a experiência dos professores em participar da ação?
Produtiva e cansativa, pois a carga de trabalho ficou concentrada em um curtíssimo espaço de tempo, desde a concepção da ideia até a divulgação pública dos resultados. Para que tenha relevância sob o ponto de vista epidemiológico, a testagem precisa ser realizada no menor espaço de tempo possível, para que seja realizada (tanto quanto possível) uma 'fotografia' da condição atual. Sob o ponto de vista dos resultados, a utilidade também está condicionada à divulgação rápida, para que ações específicas possam ser tomadas, tais como o isolamento de casos ativos e dos locais com maior densidade de casos, que passam a se tornar prioritários nas ações de combate.

Como a competência/formação (know-how) científica do grupo de professores da UFFS que participaram do trabalho foi utilizado?
Foram utilizadas diversas vertentes de conhecimento, tais como Modelagem Matemática, Estatística e Cartografia. De qualquer forma, o conhecimento técnico e teórico teve que ser retirado da zona de conforto do ambiente de sala de aula para ser adaptado às restrições de tempo, recursos e infraestrutura que se apresentaram. Diversas das ações realizadas para preparar a operacionalização da testagem demandaram que novos conhecimentos fossem adquiridos ao longo do caminho.

Na opinião do grupo de professores, quais as questões que podem ser considerados diferenciais no trabalho desenvolvido? Preencheram alguma lacuna que havia em outros estudos?
O trabalho foi pioneiro, bem como a forma pró-ativa de abordar a prevenção à Covid-19. A testagem por demanda tende a não refletir a real situação de circulação viral, tendo em vista que, supõe-se, os laboratórios e hospitais são procurados majoritariamente por pessoas sintomáticas ou que tiveram contato com alguém confirmado positivo.

De que forma o trabalho poderá colaborar na análise atual e em providências que poderão ser tomadas pelos órgãos públicos daqui para frente?
O intuito da pesquisa foi tirar uma ‘fotografia’ da situação de circulação viral no município de Erechim, durante esse período que se imagina ser o mais crítico dessa primeira onda da epidemia no município. Os resultados servirão como apoio para a elaboração de ações pontuais da Secretaria de Saúde, a partir da identificação de ‘hot spots’ da infecção. Ao menos 328 casos identificados como reagentes para anticorpos IgM, e portanto possivelmente em fase ativa, puderam ser identificados e estão sendo acompanhados. Foi possível também verificar que a taxa de reprodução básica da epidemia esteve baixa em grande parte do mês de junho, o que é positivo, pois significa que a velocidade de crescimento esteve controlada. Entretanto, voltou a crescer no início de julho, o que parece ser o início de uma segunda onda de infecção. Saber disso neste momento é importante para que se atue no sentido de freá-la. Daí segue a importância de acompanhar a evolução dos casos positivos identificados na pesquisa e orientá-los para que sigam as recomendações de isolamento e quarentena.


Qual a análise que vocês podem fazer da colaboração da UFFS na ação, em específico, e na compreensão da pandemia pela população de uma forma geral?
Muito importante, pois permitiu rastrear um grande número de casos positivos com possibilidade de estar em fase ativa de transmissão. Isso é de grande ajuda para frear a curva de contágio. Além disso, a produção de mapas temáticos, tal como o 'mapa de calor' da densidade de casos, proporcionou aos responsáveis pelas regiões de cobertura as informações necessárias para realocar esforços e recursos para o combate à epidemia de forma mais localizada e com base em fatos.

O estudo já produziu consequências?
O estudo foi pioneiro no Brasil. O Estado do Rio Grande do Sul, através da Secretaria Estadual de Saúde, recebeu do prefeito do município uma cópia da metodologia e dos resultados da pesquisa 'Testa Erechim' no dia 16/07/2020 e, uma semana mais tarde lançou o programa 'Testar RS', que é mais um passo na implementação de estratégias pró-ativas de combate à pandemia.

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS