Projeto de extensão RM/PICS – LABPICS faz balanço das atividades do ano
Projeto iniciou em agosto e realizou diversas atividades

Publicado em: 11 de dezembro de 2018 14h12min / Atualizado em: 12 de dezembro de 2018 08h12min

Projeto de Extensão Racionalidades Médicas e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde - RM/PICS (LABPICS), realizou um balanço de todas as atividades realizadas desde agosto quando o projeto iniciou, com o objetivo principal de apresentar, demonstrar e vivenciar práticas corporais e mentais de Racionalidades Médicas ou de Sistemas Médicos Complexos, diferentes da Medicina Ocidental Moderna.
A coordenadora do projeto, professora Maria Eneida de Almeida, explicou que o projeto traz conhecimentos de recursos terapêuticos provenientes de outras medicinas vigentes no mundo, que possuem práticas corporais e mentais que buscam o equilíbrio, transformam hábitos e elevam a qualidade de vida. “Se podemos transformar a nós mesmos, naturalmente podemos transformar a sociedade almejando um mundo melhor. Transformar é preciso”, afirmou.
EXTENSÃO
As atividades desenvolvidas pelo projeto incluíram diferentes medicinas como, por exemplo, no campo da Medicina Tradicional Chinesa. Nesse campo, o projeto proporcionou para a comunidade acadêmica Auriculoterapia semanalmente; vivência em Tai Chi Chuan, oficinas e grupos de vivência em Tuiná (automassagem nos pontos de acupuntura), meditação e primeiros passos de Tai Chi Chuan; vivência em Ventosaterapia e uma palestra explicando a relevância das práticas corporais e mentais na busca do equilíbrio energético.

Para abordar a Medicina Ayurvédica, o projeto trouxe o monge Dada Jinanananda para falar sobre a importância da meditação e da prática do Yoga no equilíbrio corporal, mental e espiritual. Ele também realizou uma vivência de Tantra Yoga. Já no campo da Medicina Antroposófica, um minicurso de Dança Circular foi realizado dentro da programação do VIII SEPE.
Além disso, semanalmente, o projeto realizou para a comunidade acadêmica, práticas de Reiki e Barras de Access, que fazem a busca pessoal e coletiva do equilíbrio energético para uma melhor qualidade de vida e bem-estar.
ENSINO
Na área do ensino, o projeto recebeu alunos do Componente Curricular de Saúde Coletiva do curso de Medicina, da 3ª fase e da 5ª fase, com objetivo de valorização de atividades em agroecologia como o reconhecimento da importância das Plantas Medicinais para a Saúde Humana. “Neste sentido tivemos grande aproximação com o Programa de Extensão Agroecologia e Economia Solidária, bem como com o Fórum de Entidades da Agricultura Familiar de Seara-SC, onde pudemos conhecer um Horto Medicinal no modelo do Relógio Biológico da Medicina Tradicional Chinesa”, explicou Eneida.
Os estudantes produziram materiais como um Catálogo de Plantas Medicinais do Horto de Medicina Tradicional Chinesa, Placas de cada planta Medicinal com indicações de uso para instalação neste modelo de Horto e finalizaram com um vídeo para divulgação do Horto.
Para assistir o vídeo, clique no link abaixo.
Vídeo sobre o Horto Medicinal
PRÓXIMO ANO
Para Eneida, o projeto pretende em 2019 realizar várias outas atividades e abrir mais oportunidade para que a comunidade regional possa participar. “Teremos novidades e esperamos que a comunidade acadêmica e a sociedade possam participar cada vez mais do nosso projeto”, concluiu.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

25 de fevereiro de 2021

Erechim

25 de fevereiro de 2021

Concursos e Processos Seletivos

24 de fevereiro de 2021

Concursos e Processos Seletivos