Área de Concentração e Linhas de Pesquisa

 

 

A área de concentração do PPGH/UFFS é Fronteiras, Migrações e Sociedades.


As três grandes categorias de análise por trás da área de concentração do PPGH se desdobram em outros conceitos (ou termos-chaves) interpretativos para o estudo e reflexão sobre as várias faces da história objeto de atenção dos pesquisadores vinculados ao PPGH/UFFS. Fronteira é o eixo estruturante, articulador e propositivo. As categorias Migrações e  Sociedades são aplicadas para pensar e repensar fronteiras, sejam estas políticas, econômicas, sociais e/ou ambientais.

Por este fato, os processos migratórios e as sociedades são os temas norteadores das linhas de pesquisa do PPGH/UFFS, em estreito diálogo com a categoria Fronteira.  A linha de pesquisa “História do povoamento, da agricultura e do meio ambiente” vincula-se à categoria Migrações e investiga os processos de povoamento, despovoamento e colonização das áreas de fronteiras, com ênfase nas populações indígenas, caboclos e colonos, assim como suas descendências. Tal categoria também permite a compreensão dos processos históricos de intervenção humana no meio ambiente e as influências do mesmo sobre as sociedades humanas em diferentes contextos políticos, históricos, ecológicos e culturais. Como também, a linha de pesquisa “História dos movimentos e das relações sociais” vincula-se à categoria Sociedades, com atenção às diferentes formas pelas quais os sujeitos sociais se constituem, se relacionam, atuam e constroem a ordem social na fronteira, com ênfase nos temas: conflitos agrários, organizações populares, lutas camponesas, constituição de identidades, organização dos espaços, da vida social e da integração regional.

 

 

Linhas de Pesquisa: 

 

Linha 1: História do povoamento, da agricultura e do meio ambiente

Com ênfase na análise dos movimentos migratórios e nos processos de povoamento, despovoamento e colonização das áreas de fronteiras, a presente linha de pesquisa privilegia as investigações sobre populações indígenas, caboclos e colonos de origem europeia, que permitam a compreensão dos processos históricos de intervenção humana no meio ambiente e as influências do mesmo sobre as sociedades humanas em diferentes contextos políticos, históricos, ecológicos e culturais. A linha investiga e estuda questões relacionadas com a formação, o povoamento, a economia, a identidade e cultura dos povos e sociedades que habitam as áreas de fronteiras de países da América Meridional.

Linha 2: História dos movimentos e das relações sociais

A linha de pesquisa História dos Movimentos e das Relações Sociais enfatiza as diferentes formas pelas quais os sujeitos sociais se constituem, se relacionam, atuam e constroem a ordem social. Privilegia as investigações que tratam dos processos migratórios para as regiões de fronteiras, as relações inter-étnicas, econômicas, de classe, de trabalho, de gênero, de família, assim como, sobre os contextos históricos da produção dos discursos políticos e ideológicos dos países da América Meridional. As análises sobre conflitos sociais e ambientais decorrentes da exploração da terra, organizações populares, lutas camponesas, estratégias de dominação e resistência, constituição de identidades, organização dos espaços, da vida social e da integração regional, constituem o cenário investigativo que a presente linha de pesquisa pretende propiciar.