UFFS inicia estudo de viabilidade de implementação do Parque Ambiental Fronteira Sul
Comissão de avaliação de viabilidade já está instituída

Publicado em: 25 de janeiro de 2021 14h01min / Atualizado em: 25 de janeiro de 2021 15h01min

Foram publicadas as portarias 1485/GR/UFFS/2021 e 1486/GR/UFFS/2021, que instituem, respectivamente, a criação da Comissão de Avaliação de Viabilidade de Implementação do Parque Ambiental Fronteira Sul e a designação dos seus membros, que irão fazer a análise de viabilidade, sugestão de aproveitamento e estruturação dos espaços a serem ocupados pela Universidade Federal da Fronteira Sul na área que foi doada pela Prefeitura Municipal de Chapecó à UFFS.

De acordo com a Lei Municipal Nº. 7.409, de 22 de outubro de 2020, a UFFS recebeu uma área de 78.900,00m2 no Bairro Engenho Braun, em Chapecó, doação condicionada à criação de um parque ambiental e de edificações que possam eventualmente receber o prédio da Reitoria da Universidade.

A UFFS — cuja presença em Chapecó apenas foi possível por um acordo similar entre os poderes Municipal e Federal, sendo que a área do atual Campus no município também foi fruto de doação — tem agora a possibilidade de estruturar, mediante suplementação de recursos da União e também por intermédio de eventuais emendas parlamentares e outras parcerias que podem ser buscadas na própria Prefeitura Municipal de Chapecó, um parque ambiental que será utilizado por toda a sociedade e pela comunidade acadêmica da UFFS e espaços edificados que aprimoram e consolidam a presença da Universidade no oeste catarinense.

De acordo com o chefe de Gabinete da UFFS, Rafael Scheffer, a partir da publicação dessas portarias, será possível mobilizar as equipes, que são compostas por servidores que irão desenvolver os aspectos técnicos do projeto — tais como aspectos estruturais e o custo orçamentário — e atuar no âmbito consultivo, moldando a própria estrutura do Parque e das edificações da UFFS. “É preciso pensar, a partir da área recebida, a melhor forma de utilização, levando em conta aspectos geofísicos do local e a própria presença da fauna e da flora pré-existentes, para assim elaborar um projeto que seja sustentável, inovador tecnologicamente, que integre a Universidade à comunidade em geral e, também, que possa ser um espaço que potencialize a gestão universitária”, explicou.

Segundo Scheffer, inicialmente, pensa-se na criação de um espaço que possa abrigar eventos culturais e as formaturas, um biotério, prédios funcionais para a gestão universitária e uma área que possa ser utilizada para a estruturação da associação dos servidores da UFFS. “Isso também possibilitaria que o “Bloco C”, em estágio de finalização no Campus Chapecó, possa vir a ser utilizado como espaço de laboratórios e salas de aulas, tendo em vista a eventual expansão dos cursos de graduação e pós-graduação ofertados no Campus”, afirmou.

Depois do estudo de viabilidade e do projeto serem finalizados, o próximo passo é demonstrar de onde viriam os recursos suplementares para a construção da obra. Scheffer afirma que se espera buscar a parceria com todos os poderes públicos, por meio de um diálogo plural, para que a UFFS possa agregar mais esse ativo ao seu patrimônio. Quando os trabalhos da Comissão estiverem finalizados, o projeto será encaminhado para que os conselhos internos competentes analisem e deliberem sobre a proposta.

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS