INSP! divulga os três vídeos mais votados pelo público
Os vencedores receberão até R$ 3 mil para participação em eventos acadêmicos

Publicado em: 04 de dezembro de 2018 11h12min / Atualizado em: 04 de dezembro de 2018 14h12min

O INSP! Interprete sua Pesquisa, concurso de divulgação científica da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), apresentou, na segunda-feira (3), os três vídeos mais votados pelo público. Foram meses de realização de concurso até o grande dia do anúncio.

O INSP! aconteceu através de uma parceria entre a Diretoria de Comunicação e a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFFS.

O diretor de Comunicação da UFFS, Valdir Prigol, explica que a ideia fundamental do INSP! é mostrar que a divulgação deve ser uma dimensão fundamental de toda pesquisa. “É muito importante que os resultados das pesquisas cheguem para um público amplo, porque isso pode contribuir para a melhoria da vida das pessoas. Para isso é fundamental que a comunicação e a pesquisa andem juntas”, comenta.

A coordenadora do INSP!, Isabella Noleto, que é relações públicas da UFFS, explica como nasceu a ideia. “Nós queríamos que as pessoas conhecessem as pesquisas que são desenvolvidas dentro da Universidade. A UFFS tem uma atuação muito ampla, porém o público nem sempre tem conhecimento desses projetos e os benefícios que eles podem gerar para a comunidade. Pensando nesse público também, decidimos que o formato da apresentação não poderia ser convencional, mas algo criativo, com uma linguagem acessível para quem não é da área. Depois de algumas pesquisas, dois projetos nos chamaram a atenção : Dance Your PhD, da revista britânica Science, e FameLab, da British Council. Nos inspiramos neles, mas desenvolvemos nosso próprio formato de interpretação. E assim surgiu o Interprete Sua Pesquisa”, explica.

 

O INSP!

No concurso, os pesquisadores da UFFS deveriam interpretar suas pesquisas de maneira criativa e com linguagem acessível ao grande público. A proposta era a criação de pequenos vídeos, de 3 min, sobre as pesquisas desenvolvidas na Instituição. Foram 15 vídeos inscritos. Todos os vídeos foram postados na fanpage oficial da UFFS (@uffsonline) e ficaram, por um período, disponível para o público assistir e curtir.

O número de curtidas no facebook era um dos critérios de seleção para a próxima etapa, com peso de 30%. Junto com essa variável, também houve a avaliação por uma comissão específica, formada por membros da Diretoria de Comunicação e assessorias de comunicação dos campi e Diretoria de Pesquisa da UFFS. A comissão avaliou aspectos como criatividade, inovação, capacidade de tradução da linguagem científica para uma linguagem mais acessível ao público em geral e também o potencial científico da proposta. A avaliação do potencial científico teve peso de 30%, e a criatividade e a capacidade de tradução da pesquisa para uma linguagem acessível ao grande público, peso de 40%.

Após essa fase, 10 vídeos foram selecionados e disponibilizados para votação via formulário. O público deveria escolher o melhor vídeo, na sua opinião. Os três vídeos mais votados receberiam o prêmio do INSP! 2018. Os vencedores receberão até R$ 3 mil. Recursos que poderão ser utilizados para participação em eventos científicos no ano de 2019.

E os mais votados foram, segundo o EDITAL Nº 1174/GR/UFFS/2018:

1. Você sabe o que é o teste do pezinho? 786 votos

2. Incubadora em Ação – 763 votos

3. Potencial efeito do Tucumã (Astrocaryum aculeatum) em um modelo experimental in vitro de degeneração macular relacionada à idade – 642 votos

Sem dúvida, a palavra norteadora do INSP! foi desafio. Conversamos com dois representantes dos projetos escolhidos pelo público e os dois apontaram nessa direção: o quão desafiador e, na mesma medida, importante, é traduzir o conhecimento que se produz dentro da Universidade para um público leigo.

Para Fernanda de Oliveira, aluna do curso de Medicina, que teve o vídeo mais votado do concurso, participar do INSP foi estimulante. “O processo de produzir um vídeo com linguagem clara e acessível, de forma a entreter o público e também informar, fez com que o grupo se unisse ainda mais, desde a confecção do roteiro até qual desenho usar em cada cena. A participação despertou em nós um entusiasmo científico. O que era para ser apenas um TCC, hoje podemos ver crescer e se tornar um projeto concreto, com planos para o futuro. Acredito que o INSP! veio para ajudar na visibilidade das pesquisas universitárias”, comenta. O vídeo da pesquisa que Fernanda participa, junto com Luciano Ferreira e as professoras Claudete Maria Zanatta e Giani Cioccari recebeu 786 votos.

A professora Louise de Lira Roedel Botelho, coordenadora do Projeto Incubadora Tecnossocial de Cooperativas e Empreendimentos Econômicos e Solidários (ITCEES), que apresentou o segundo vídeo mais votado, o Incubadora em Ação, também comenta sobre a relevância da divulgação científica. “Projetos como o  INSP! são importantíssimos para divulgação científica, pois ele faz com que a Universidade tenha mais capilaridade na divulgação junto ao público regional, principalmente pela linguagem utilizada, que é mais popular. A ideia do concurso, além de inovadora para uma instituição tão nova como a nossa, é importantíssima, pois também aproxima a comunidade regional dos resultados de pesquisa alcançados na UFFS e ajuda a derrubar os ditos muros, que as universidades e as comunidades científicas costumam construir ao redor de si, onde se faz pesquisa pela pesquisa”, comenta.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFFS, Joviles Vitório Trevisol, comenta sobre a importância da pesquisa para a Universidade. “Essa foi a primeira vez que organizamos um edital com esse propósito de divulgação científica e acredito que tivemos um número expressivo de inscritos, dado o desafio que foi colocado à frente dos pesquisadores. Em 2017, realizamos 400 projetos de pesquisa, muitos financiados por agências de fomento; produzimos aproximadamente mil trabalhos, entre artigos publicados em periódicos, livros e capítulos de livros. Isso demonstra que, apesar de jovem, a UFFS vem construindo uma trajetória importante, se consolidando, também, como uma universidade de pesquisa. E é importante que a nossa comunidade universitária e regional e o país conheçam os projetos que estamos desenvolvendo, através do INSP!, por exemplo. É dessa maneira que nós consolidamos a Universidade e asseguramos uma formação de qualidade para nossos jovens e também damos uma contribuição importante para o desenvolvimento do nosso país”, aponta.

 

Saiba mais sobre as pesquisas vencedoras. 

Os 10 vídeos finalistas do INSP! estão disponíveis na fanpage oficial da UFFS, em facebook.com/uffsonline