Perguntas Frequentes


01) O que muda no processo de seleção de propostas para as bolsas de Iniciação Científica (IC) a partir do ano de 2014?

Visando uma melhor organização das atividades da Diretoria de Pesquisa, em 2014, a PROPEPG decidiu:

a) o processo de seleção de propostas a serem apoiadas com bolsas de IC na UFFS será único, igualando a vigência de nossas bolsas às do CNPq e FAPERGS (agosto-julho); e

b) o processo de seleção será desconcentrado aos campi, o que já foi realizado pelo Edital nº 21.

 

02) O que é o Edital Único de IC para o ano de 2014?

Visando uma melhor organização da Diretoria e a desconcentração de atividades, sem sobrecarregar os docentes que conduzem o processo de seleção nos campi, foram realizados alguns ajustes, dentre eles, a renovação somente das bolsas do Edital nº 262 de docentes que têm projetos externos com recursos financeiros (8 bolsas) aprovados por agências como CNPq, FAPESC e FAPERGS, o que é garantido em edital, e concentrar todas as demais bolsas da Instituição em um único edital a ser lançado no retorno às aulas em março, cujas bolsas terão vigência de agosto de 2014 até julho de 2015.

 

03) Quantas bolsas de IC serão disponibilizadas no edital único em 2014?

O próximo edital de bolsas de IC disponibilizará aproximadamente 150 bolsas custeadas pela UFFS, 14 bolsas pelo CNPq e outras 18 bolsas pela FAPERGS para os campi do RS, totalizando aproximadamente 190 bolsas de IC, isto é, uma bolsa para cada 2,8 docentes da UFFS, muito próximo do considerado ideal (1 bolsa para cada 3 docentes).

 

04) Qual o histórico de investimento em bolsas de Iniciação Científica na UFFS?

A disponibilidade de recursos financeiros com bolsas de IC somente em 2014 apresentará uma redução, pois o governo federal cortou o orçamento para custeio da UFFS (rubrica da qual saem os recursos para bolsas) em aproximadamente R$ 5.000.000,00.

Histórico da disponibilidade de bolsas de IC desde o ano de 2011 na UFFS:

- 2011: R$ 331.200,00 (69 bolsas/mês);

- 2012: R$ 530.240,00 (110,46 bolsas/mês);

- 2013: R$ 770.400,00 (160 bolsas mês);

- 2014: R$ 505.800,00 (105 bolsas/mês);

- Projeção para 2015: R$ 720.000,00 (150 bolsas/mês).

  

05) Quais seriam as alternativas para aumentarmos nossa quantidade de bolsas de IC?

- Os nossos docentes se inserirem mais fortemente em Pós-graduação, temos apenas 5 cursos de mestrado e 10% dos docentes da instituição envolvidos em pós-graduação, o que é muito baixo. O número de cursos de mestrado influi diretamente no número de bolsas de IC concedidas pelo CNPq;

- Os nossos docentes submeterem mais projetos a editais externos como CNPq, FAPESC, FAPERGS (temos apenas 34 aprovados em 2013), publicarem mais artigos qualificados e tornarem-se bolsistas produtividade do CNPq (temos apenas 5 na UFFS) e, assim, angariarmos mais bolsas do CNPq e FAPERGS, pois o número de bolsas também está atrelado ao número de bolsistas produtividade do CNPq. A produção dos docentes da UFFS caiu de 2010 a 2014;

- Os estudantes não deixarem de apresentar no SEPE os resultados de suas pesquisas. No ano passado, 3 bolsistas do CNPq não apresentaram seus trabalhos no SEPE, o que é obrigatório. Um comitê externo do CNPq vem a UFFS todos os anos avaliar os trabalhos apresentados e o que ocorreu no ano passado poderá nos prejudicar. Pode ser que não percamos nenhuma bolsa, mas com certeza isso foi relatado e dificultará a concessão de novas bolsas.

 Enfim, o número de bolsas também depende de um esforço coletivo de todos os nossos docentes e estudantes. A UFFS é uma das poucas instituições de ensino superior federal do País que pega recursos de seu orçamento para transformar em bolsas de IC e para apoiar seus Grupos de Pesquisa (R$ 400.000,00 gastos no ano de 2013 entre transporte, livros, material de expediente e material de laboratórios).