Professor e estudantes levam informações sobre higiene e saúde a crianças de escola
Intervenção ocorreu a partir do professor Paulo Henrique Guerra, representante da UFFS – Campus Chapecó no Projeto Saúde na Escola

Publicado em: 05 de julho de 2019 11h07min / Atualizado em: 05 de julho de 2019 12h07min

Crianças de seis a dez anos da Escola Parque Cidadã Leonel de Moura Brizola tiveram uma tarde diferente no dia 28 de junho. De um jeito lúdico, elas receberam informações sobre a prevenção à escabiose, a popular sarna. Algumas semanas antes, um surto gerado pelo parasita provocou o fechamento da escola por uma semana. A ideia foi do professor de Medicina da UFFS – Campus Chapecó Paulo Henrique Guerra, que contou com o empenho dos estudantes Jullye Gaviolli e Victor Schmoller.

Os representantes das turmas, participantes da ação, serão os multiplicadores das informações nas turmas. Eles aprenderam sobre higiene pessoal, com explanação da importância do banho diário e passagem do pente fino, secagem e manutenção dos cabelos presos (no caso de cabelo longo), além de ações práticas de lavação das mãos. Também receberam conhecimentos sobre pediculose (piolho) e escabiose (sarna), com informações sobre situações e contextos de maior risco e estratégias de controle e tratamento.

“Buscamos uma abordagem compatível com o momento da escola e das crianças que nela estudam. Percebendo que a situação já havia acarretado situações de grande desconforto na comunidade local, buscamos um olhar mais lúdico, para além da explanação tradicional, envolvendo coreografias (lavação das mãos) e brincadeiras de roda (passagem de um piolho de brinquedo, como na brincadeira “batata-quente”). Cabe mencionar que esse não é um problema exclusivo da EPC Leonel de Moura Brizola”, ressaltou o professor.

O professor representa a UFFS no contexto municipal do Programa Saúde na Escola (política nacional instituída em 2007), que envolve também esforços de profissionais que pertencem aos setores saúde e educação de Chapecó. “Em vista do histórico de ações que já liderei em outras escolas da cidade (Olímpio Figueiró, Herbert de Souza e Vila Rica), no contexto das vivências do Componente Curricular Saúde Coletiva, a partir do momento que percebemos a magnitude do problema na escola, propus uma articulação conjunta para intervir neste espaço. Cabe dizer que a EPC Leonel de Moura Brizola é uma das escolas de maior contingente na cidade de Chapecó e tem uma proposta especial: oferecer ensino em tempo integral. De forma complementar, a ação da UFFS fez parte de um contínuo de atividades, que também envolveram profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde e arquitetos”. Segundo ele, ainda, para dar sequência na proposta, serão planejadas novas ações na escola para o segundo semestre, envolvendo, novamente, estudantes da UFFS.

Lígia Faria, que atua na coordenação do Programa Saúde na Escola, considera que, “partindo-se do pressuposto da prevenção, acreditamos que nas crianças é possível identificar, prevenir buscar soluções mais práticas, imediatas e efetivas, e com esse objetivo pode-se adotar ações criativas e lúdicas, possibilitando dessa forma, integrar os segmentos da Saúde e Educação no propósito do bem-estar, uma vez que a população atendida é a mesma”.

Conforme ela e a diretora da escola, Simone Rauber, na semana anterior à atividade (uma depois do fechamento da escola), houve uma verificação da situação pela enfermeira da Unidade Básica de Saúde São Pedro. Para a diretora, ficou claro que “as crianças estavam receptivas quanto às informações sobre higiene)”. E Lígia completa: “foi uma atividade muito rica e importante, pois, através de  parcerias entre os órgãos envolvidos, o êxito é inevitável”.



ÚLTIMAS NOTÍCIAS